Fulas PDF Imprimir E-mail

População: 15.000.000.

Distribuição geográfica: Nigéria, Ní­ger, Malí­, dispersos do Senegal até Sudán.

Nomes alternativos: Pul, fulbé, fulanis, fils, peuls, pular.

Idiomas: Fulfulde (peul), com diferentes dialétos em cada zona. Os que vivem nas cidades somente falam hausa, franês e inglês.

Religião: Islamismo

Situação do cristianismo: Aproximadamente 2.000. Em Ní­ger há uma congregação com 60 crentes.

Traduções: Novo Testamento e porções do Antigo Testamento. Há um programa de rádio na Libéria.

HISTÓRIA Os fulas, cuja origem apresenta algumas dúvidas, é um povo com 80% de pastores nômades, com um pequeno grupo de sedentários, localizados em distintos paí­ses do Sahel, do Chade até o Senegal. Adotam diferentes nomes: sokoto, macina, kano-bororro. Etnicamente são diferentes de outros povos africanos; são de pele mais clara e nariz mais reto. Aliam-se aos negros sedentários, de cuja mescla com os sereres originaram os tucolores, os futandés e os toronkes, importantes grupos do vale do Senegal. Seu auge polí­tico foi nos séculos XVIII e XIX, quando conquistaram importantes territórios. Seus primeiros contatos com o islamismo teve lugar no século XVI, como os de outros grupos do Sahel. No século  XIX se converteram ao islamismo na totalidade da população.

SITUAÇÃO POLÍTICA Os fulas de Ní­ger e Senegal tiveram guerra com as tropas francesas e inglesas se opondo a colonização. Nos territórios ingleses (Nigéria) alguns fulas se misturaram com os hausa e adotaram sua lí­ngua. Formando a classe governante da Nigéria.

ECONOMIA A maioria são pastores trashumantes, ainda que haja grupos agrí­colas (sokoto) e urbanos. Em alguns paí­ses mantém importantes posições polí­ticas e econômicas.

CULTURA E EDUCAÇÃO Sua sociedade está marcada pelo sistema de castas que compreende: nobres, servos, comerciantes, pastores, poetas e artesãos em couro e madeira, com um arraigado sentimento conservador. Os fulas se consideram autênticos muçulmanos, ainda que conservem muitos costumes pagãos entre eles. A educação se realiza nas escolas.

CONTATOS COM O EVANGELHO Há alguns grupos missionários trabalhando com eles, em pelo menos seis paí­ses onde estão assentados. No entanto, a proporção é de um cristão para cada 500 fulas. Em 1983 se criou o Ministério Cristão Conjunto na África Ocidental (MCCAO), para coordenar os esforços evangelí­sticos nestes grupos. Há grupos organizados no norte de Niger.

NECESSIDADES ESPECÍFICAS Salvo no Sudão, todos os paí­ses onde se encontram os fulas estão abertos para o evangelho. Oremos para que se estabeleça uma igreja local dinâmica que alcance os fulas nômades, grupo estratégico na África Ocidental para o avanço da igreja.

Árabes Marroquinos | Árabes Tunisianos | Azerbaijão | Bereberes do Atlas | Bereberes do Sul | Cabilenho | Cossacos | Curdos | Fulas | Hausas | Mouros | Nômades Pastorais | Quirguizes | Rifenhos | Saharianos | Tártaros | Tayicos | Tuaregue | Turcomanos | Uigures | Uzbecoz | Wolof